o "meu" terreno

P.S. Perdão pelo longo post há vossa frente. Mas havia coisas para dizer.

"Urban Design - Sealed Against the Real" é este o nome da cadeira que estou a fazer aqui na AHO. Basicamente é desenho urbano mas difere do normal pois somos nós que têmos que propor um programa identificando os desafios (é este o nome que se dá aos problemas - não existem problemas, apenas desafios). Outro pormenor é o facto de estarmos a lidar com... (tambores) Centros Comerciais - Shoppings. Pois é meus amigos. É esse o assunto. Shoppings. Passamos a primeira metade do semestre a estudar shoppings e os seus efeitos na área circundante. Identificado o Shopping como elemento criador de novas centralidades, mãos ao trabalho.

O meu prof, o Peter, é dinamarquês. E os dois terrenos propostos são em Copenhaga. Já lá fui, muito bonito (os elementos femininos da população não me impressionaram muito - ficaste com a parte pior da escandinávia oh foy). Depois de muito mapeamento e design paramétrico escolhi um dos terrenos e estou a trabalhar com uma sueca. Um dos terrenos tem fronteiras bastante irregulares. O outro parece que as tem regulares mas "é nosso dever (alunos) questionar as fronteiras e o programa". A zona chama-se Ørestad e, espantem-se... o meu terreno tem um site. LOL
A verdade é que Libesking fez há pouco tempo o masterplan para o "meu" terreno. E segundo o Peter "é nosso dever questionar o masterplan do senhor Libeskind.

Só digo mais uma coisa. Estes mans têminformação. Não foi difícil arranjar planos municipais em pdf, plantas com informação de programas, mapa cad em 3d da cidade, etc etc etc. Impressionado estou (como diria o mestre Yoda - se estivesse vivo claro).

Ora bem, Ørestad City, ou Ørestad Downtown, é um quarteirão que pertence a um plano de 1994 de uma equipa finlandesa para criar um alargamento de copenhaga ao longo de uma grande recta da recém inaugurada (estive lá) linha de metro centro-aeroporto. Bom, deu para o torto e agora está cheio de desafios que temos que solucionar. O maior deles (maior é a palavra chave nesta frase) é o Fields - o maior centro comercial da escandinávia, 115,000 m2, mais de 140 lojas (por acaso já não é o maior tendo sido ultrapassado pelo centro comercial de Sandvika - arredores de Oslo - inaugurado a semana passada).

Vejam o site do Masterplan do Libeskind para o baptizado Ørestad Downtown. Grizem-se com o vídeo. Se quiserem ver o masterplan em pdf do Libeskind em A0 - Siteplan.

Ah, só mais uma coisa. Grizem-se com o site CopenhagenX um site dedicado à arquitectura contemporânea em copenhaga - quem dera a muitas cidades um site com um terço da qualidade deste. Reparem como tudo é interactivo. O meu terreno no cphx.dk

É mais ou menos isto!

Não é novidade nenhuma mas a arquitectura está intimamente ligada aos videoclips musicais. No entanto, muitos realizadores deram um paço em frente, transformando-a no elemento principal para ilustrar uma dada musica. A Archinect, uma das melhores e maiores comunidades mundiais de arquitectos e estudantes de arquitectura, deu-se ao trabalho de elaborar uma lista desses exemplos em que a arquitectura sobressai.




Alex Gopher - The Child

Deixo-vos com The Child, the Alex Gopher que não está na lista mas que eu acho que devia estar. E como este é o meu blog posso achar o que me apetecer.


Comentários não necessários. E sim, o Roger é sempre o primeiro a ser identificado.


Uma compilação, "finalmente!" ou "já!". Mas admito que estou curioso para ouvir uma compilação de Sigur Ros. Há versões acusticas e etc. Ainda não ouvi. Está fresquinho. Vamos lá ver.

01. Salka (Studio Version)
02. Hljómalind (Studio Version)
03. Í Gær (Studio Version)
04. Von (Studio Version)
05. Hafsól (Studio Version)
06. Samskeyti (Acoustic Studio Version)
07. Starálfur (Acoustic Studio Version)
08. Vaka (Acoustic Studio Version)
09. Ágætis Byrjun (Acoustic Studio Version)
10. Heysátan (Acoustic Studio Version)
11. Von (Acoustic Studio Version)

O meu segundo concerto. Wibutee på Blå com a primeira parte dos The Holstein United Bluegrass Boys os quais participaram na ultima musica do concerto - Crash Hit. Não sei que dizer a não ser... brutal. Deixo uns vídeos do concerto.


Travel With You


Crash Hit

Estes mas dominam. O concerto foi muito mais acústico que o álbum embora Håkon Kornstad, o virtuoso de serviço, utilizasse a caixa de loops de vez em quando. Mas basicamnete, um mac, uma bateria e o Håkon a mudar das flautas para o saxofone, saxofone baixo, melodica (escaleta) ou para o flautonete (que soa como o nome indica como uma mistura entre a flauta e o clarinete). Sempre a mudar de instrumento e a mudar peças nos instrumentos para obter diferentes sons.
O site da banda está feixe.

Foi fixe porque o ambiente era caseiro. Foi num bar que existe perto da escola e onde vou voltar dia 31 para ver Efterklang, uma banda dinamarquesa.

Håkon Kornstad a dar-lhe forte.

desbloqueador

Provavelmente vem tarde... mas se como eu tinha, têm um telemóvel bloqueado à rede e querem desbloquea-lo para poderem usar o vosso querido SIM da terrinha adoptiva, vulgo, destino erasmus, então este post é para vocês.
Este site explica como desbloquear nokias, gratuítamente:
How To Unlock Your Nokia Cellphone
Eu usei este para gerar os codigos:
UnlockitFree

Não vão na cantiga dos cobradores, porcos fascistas, chulos que querem fazer o povo pagar, para desbloquear telemóveis. Ah, e fiquem a saber que assim como é legal as operadoras bloquearem os aparelhos vendidos pelas mesmas, também é completamente legal desbloquear os mesmos.

P.S. Só para Nokias. Para outros procurem vocês, não sou pai de ninguém. Ou comprem um Nokia, porque Nokia rulêz... todos os outros são uma bosta. A não se que seja um SonyEricson. Esses também são feixes. Mas pronto...

A4 Papercuts

O trabalho em papel de Peter Callesen é baseado em torno de uma exploração da relação entre as duas e as três dimensões. A materialização de um pedaço de papel plano em 3D é um processo quase mágico - ou de óbvia magia já que o processo é obvio e as figuras continuam presas à sua origem, sem possibilidade de escapar. Nesse sentido, há também um aspecto algo trágico na maioria dos cortes. Alguns dos cortes de papel pequenos dizem respeito a um universo de fadas contos e romantismo, como por exemplo "Impenetrable Castle" inspirado por Hans Christian Andersen no conto de fadas "O Soldadinho de Chumbo", em que um soldado de chumbo se apaixona por uma Bailarina de papel, que vive num castelo de papel. Outros cortes são pequenas ficções em que pequenas figuras estão perdidas dentro e ameaçadas pela enorme e poderosa natureza. Outros estão virados do avesso, permitindo que a frente e o verso do papel se reunam - lidar com a impossibilidade, com ilusões e reflexões.

A folha de papel A4 é o mais comum e consumido formato para transportar informações, e nesse sentido é algo carregado de significado. Assim, ao remover todas as informações e ao começar do zero com a vazia folha de papel A4 branco de 80gsm como uma base para as criações, está encontrado um material com o qual, por um lado, todos nós somos capazes de estabelecer uma relação e que pelo outro é neutro e, portanto, mais fácil de preencher com significados diferentes. O fino papel branco dá também às esculturas uma fragilidade, que sublinha o trágico e romântico tema das obras.








Peter Callesen was bon in 1967 in Denmark. He attended the Århus School of Architecture between 1990-93.

Jonathan Harris

Combinando elementos das ciências informáticas, antropologia, artes visuais, Jonathan Harris projecta sistemas para explorar e explicar o mundo humano.


Desde 2004, ano em que ganhou a italiana Bolsa Fabrica da Benetton, tem criado projectos que exploram o significado do que é ser humano através do design de websites.












10x10 foi criado na Fabrica e funciona pesquisando de hora em hora em várias fontes internacionais de notícias utilizando um elaborado processo de análise linguística do texto contido nas manchetes noticiosas. Depois deste processo, são tiradas automaticamente conclusões acerca das palavras mais importantes dessa hora. São escolhidas as 100 mais importantes e as correspondentes imagens associadas. No fim de cada dia, mês e ano, 10x10 recolhe dados dos seus arquivos para concluir o top 100 das palavras para o dado período de tempo. Desta forma é formado uma gravação do nosso mundo que está constantemente evoluindo, baseada em eventos mundiais proeminentes sem qualquer interacção humana.

Cada hora é apresentada como um postal composto de 100 diferentes "frames", cada qual constituído pela imagem de um único momento no tempo. Clicando num único frame é possível penetrar mais profundamente na história por trás da imagem. É possível também visualizar eventos passados numa determinada hora dum determinado dia dum determinado mês dum determinado ano.
Fontes actuais: Reuters World News, BBC World Edition, New York Times International News.


















Também criado na Fabrica, Wordcount é uma apresentação interactiva das 86.800 palavras mais usadas na língua inglesa. Cada palavra é apresentada lado a lado e está escalada de maneira a representar a sua frequência, apresentando assim uma barómetro visual das mesmas.
Wordcount tem um design esteticamente minimalista, deixando a informação falar por si mesma. O interface é claro, básico e intuitivo. O objectivo é que o utilizador se sinta imerso na linguagem passando pelas palavras como um arqueólogo por areia, esperando encontrar o inesperado
Observar palavras classificadas similarmente diz-nos muito acerca da nossa cultura. Por exemplo, "God" está a duas palavras de "start" e a seis de "guerra". Outra sequência interessante é: "america ensure oil opportunity".

Depois da Fabrica, Harris trbalhor para a Daylife, um serviço noticioso global. Para a Daylife, criou Universe, um sistema que suporta a exploração da mitologia pessoal, permitindo que cada um de nós possa encontrar as nossas próprias constelações, com base nos nossos interesses e curiosidades. A trajectória de cada um através do Universo é diferente, assim como todos os caminhos da vida são diferentes. Usando a metáfora de um céu nocturno interactivo, Universe apresenta um ambiente imersivo de navegação da mitologia mundial contemporânea, como encontrado online em notícias e informações de Daylife. Universe abre com uma aurora boreal que muda de cor , no centro da qual está uma lua, e através da qual milhares de estrelas se movem lentamente. Cada estrela tem uma relação específica no mundo físico - uma notícia, uma citação, uma imagem, uma pessoa, uma empresa, uma equipa, um lugar - e deslocando o cursor através do campo de estrelas faz com que diferentes estrelas se conectem, formando constelações. Qualquer constelação pode ser seleccionada, tornando-a no centro do universo, e enviando tudo o resto para a sua órbita.




















Desde Agosto de 2005, We Feel Fine tem colhido sentimentos humanos a partir de um grande número de weblogs. Cada poucos minutos, o sistema busca as novas entradas em blogues, mundialmente recém-postadas por ocorrências de frases "I feel" e "I'm feeling". Quando encontra tal expressão, registra toda o frase, até ao ponto final, e identifica o "sentimento" que a frase expressa (p.e. sad, happy, depressed, etc.). Porque os blogs estão estruturados maioritariamente numa forma padrão, a idade, sexo e localização geográfica dos autores muitas vezes podem ser extraídas e guardadas juntamente com a frase, assim como as condições climatéricas locais no momento em que a frase foi escrita. Todas essas informações são salvas.
















O resultado é uma base de dados de vários milhões de sentimentos humanos, aumentando em 15.000 - 20.000 novos sentimentos por dia.
Usando uma série de interfaces lúdicos, os sentimentos podem ser pesquisados e classificados em toda uma série de fatias demográficas, oferecendo respostas a questões específicas como: os Europeus sentem-se tristes mais frequentemente do que os Americanos? As mulheres sentem gordas com mais frequência do que os homens? Será que o tempo chuvoso afecta o modo como pensamos?

|Ler Mais|Movimentos|Metodologia|

















Utilizando o mesmo motor do We Feel Fine, Love Lines procura por sentimentos específicos do amor ao ódio analisando o que amamos, de que gostamos, o que queremos, o que não gostamos e o que odiamos.












Relacionado com a Sequência de Fibonacci , Phylotaxis (Phyllos - folha, Taxis - ordem), é o estudo da ordem da posição de folhas sobre o caule de uma planta, e aplica-se igualmente à forma das pinhas, e da
dispersão das sementes sobre o cabeço plano de um Girassol. A Seed Media Groupe optou por esta forma de representar a perfeita síntese da ciência e da cultura.

"Phylotaxis", criado para a Seed pelo artista Jonathan Harris, ilustra o delicado equilíbrio entre a ciência e a cultura no nosso mundo.

Sem a aleatoriedade da cultura, a ciência t
orna-se seca e previsível, aprisionada numa rígida grelha quadrada. Sem o pensamento racional da ciência, a cultura rapidamente cai em direcção ao caos. Apenas quando a ciência e a cultura agem em conjunto, a harmonia pode ser alcançada, expressa pela fantástica forma Phylotaxis.

Os grãos individuais da Phylotaxis representam o sempre mutável zeitgeist das notícias cientificas no nosso mundo, populadas automaticamente cada poucas horas por um programa de computador que procura um conjunto de fontes noticiosas online e
blogues que se focam na ciência. O Phylotaxis está, portanto, fora de controlo humano, autonomamente compondo a sua própria nova identidade, baseada no que está a passar no mundo da ciência.

Se calhar sabem, se calhar não, mas existe uma lista de vocábulos admitidos ou não admitidos como nomes próprios em portugal.

"A Direcção Geral de Registos e Notariado disponibiliza informação cujo conteúdo corresponde a listas de vocábulos admitidos ou não admitidos como nomes próprios, submetidos a apreciação destes serviços após consulta formulada pelos interessados junto da Conservatória dos Registos Centrais.

Estas listas de vocábulos admitidos ou não admitidos como nomes próprios publicitam apenas os despachos proferidos face às referidas consultas efectuadas até Dezembro do respectivo ano.

As listas são, assim, meramente exemplificativas, não estando nas mesmas englobados os nomes próprios relativamente aos quais não subsistem dúvidas quanto à sua admissibilidade (por exemplo - Maria, José, António, Ana, Carlos, Cristina, etc...)"

De facto, encontram-se nomes relativamente estranhos na lista de vocábulos não admitidos, o que me faz pensar em quem os tentou registar de facto... O surpreendente é que também se encontram vocábulos relativamente estranhos na lista de vocábulos permitidos. Assim e sem mais demoras apresento-vos As listas em confortáveis pdf's:



Adama é um dos vocábulos não admitidos. Má onda para os fans de Battlestar Gallactica.

made OF japan

Esta é pro roger em tokio. A Onitsuka Tiger lançou no seu site uma aplicação/banner que consiste na imagem lateral de uma sapatilha, formada por imensas imagens, todas elas relacionadas de alguma forma com o Japão. Daí o nome "Made Of Japan". Se se passar o rato pelas imagens é possível ver uma miniatura e carregando nela é possível ir até ao site donde ela provém. Dado que a aplicação faz uma procura de cada vez que se entra no site, as imagens nnca serão virtualmente as mesmas.

E foi o meu primeiro concerto - The New Pornographers (TNP) no Cosmopolite/Oslo.

Cheguei lá e um nigga à porta ah e tal estão a fazer o sound check ainda não abrimos. E eu, mau! Está grizo, aceitam cartões? Internacionais só no bar, à entrada tem que ser norueguês, disse-me ele num inglês nigga. Mas podes levantar dinheiro no 7eleven da esquina, acrescentou. E lá fui eu. Quando voltei já tinham aberto as portas e fui pagar o billet. Paguei e levei com um carimbo na mão.
Lá fui eu sala adentro com o meu carimbo e tenho uma agradável surpresa com a sala. Basicamente um espaço amplo tipo caixa com um espaço central para o povo assistir aos concertos e duas alas com mesinhas e cadeira por baixo dum mezanine. Isto porquê? Porque aqui o povo chega à hora das portas abrirem mas o concerto só começa uma hora e meia depois. Assim há tempo para sentar, beber uma cerveja a 6€ meio litro e a dar duas de letra enquanto o concerto n começa.


E lá começou. A primeira parte foi dos Jessica Fletchers, uma banda norueguesa. Porreirito.
Lá vieram os TNP e começaram a tocar. As duas primeiras musicas foram sempre a andar e pensei, mau que estes mans estão a fazer um frete. Mas depois o A.C. Newman explicou que eles estavam todos lixados com jet lag. Ele, o vocalista, tem ascendência norueguesa e foi, a seguir, bastante comunicativo com o povo. Ainda deu para rir. Tocaram muitas do ultimo álbum o Challengers, e dos outros também. Mas faltou a Neko Case, que anda ocupada com o trabalho a solo, coitadinha. A Katherine Calder, teclas, substituiu as vozes e não ficou muito atrás da Neko.

Este povo não é muito dado a críticas. Não encontrei nada na net. Nem fotos nem vídeo. E também n me apeteceu levar a minha machina. Por isso não há registo dessa noite. Fica um vídeo do yutubí.


PLACEBO PART COMPANY WITH DRUMMER STEVE HEWITT

Placebo have parted company with drummer of 11 years, Steve Hewitt, due to personal and musical differences.

Brian Molko commented "Being in a band is very much like being in a marriage, and in couples - in this case a triple - people can grow apart over the years. To say that you don't love your partner anymore is inaccurate, considering all that you've been through and achieved together. There simply comes a point when you realize that you want different things from your relationship and that you can no longer live under the same roof, so to speak."

The split is amicable and a sad time for both parties. Steve Hewitt replaced Robert Schultzberg behind the drum kit in 1996 whilst the band were promoting Placebo’s eponymous debut album and went on to record the following 4 studio albums ‘Without You I’m Nothing’, ‘Black Market Music’, ‘Sleeping With Ghosts’ and most recently ‘Meds’.

Placebo have just returned from the USA where they were part of the high profile ‘Projekt Revolution Tour’ alongside Linkin Park and My Chemical Romance. The band are now taking a well earned break.

Brian Molko and Stefan Olsdal will begin work on Placebo’s 6th studio album next Spring and are in no rush to find an immediate replacement for Steve.

in RollingStone


Club 8 é uma banda Sueca que consiste em Karolina Komstedt e Johan Angergård. Assinam pela Labrador Records que, para quem não sabe, contém nomes como Radio Dept. ou Koop no seu cardápio. Visitem a pagina deles no Last.fm. Não dá para sacar ambums inteiros, só 3 músicas, mas os albums são 100% streamable, o que significa que se pode ouvir todas as músicas do início ao fim se se estiver conectado à net. Vale muito a pena. Vão lançar um novo album até ao final do ano.

Descobri uma página com a discografia completa da banda, excluindo o novo álbum: Discografia (procurem os links megaupload a seguir às capas e tracklist)

Zaha Hadid works

CD-ROM
+video interviews ~60min
+VR panoramas
+Photographs
+Paintings
+Models
+Drawings
+Renderings
+Computer Animations

Zaha Hadid -- Planet Architecture series


Primeiro e antes que tudo, queria agradecer à Chiara e ao Catita e ao Toni pelas receitas rápidas e económicas de pasta - pasta de courgette, de atum, bolognesa, etc.

E agora vou mostrar os fantásticos pratos que tenho preparado.


Uma massa de atum. Muito fácil de fazer e que sabe muito bem. Abusar no tomate e na cebola.

Um lanchinho. O pão foi esfregado com alho para um sabor extra mediterranico.

Um chau-ming de camarões. Esta é uma das cenas mais baratas que posso fazer. Um saco de legumes chineses congelado custa 2.5€ e dá para 4 a 6 refeições, uma embalagem de camarões custa 4€ e tem tótil (já tinha dito que aqui o marisco é super barato?), e a massa é Barilla. O molho de soja peço "emprestado" ao chinês que vive aqui no apartamento.
Um bolinho de iogurte. Receita da minha irmã. Tótil rápido de fazer e dos melhores bolos do género. Investimento inicial no fermento e farinha, mas de resto faço um por semana.

En berliner (sim, "en" é 1 em norsk e berliner é berliner em qq lado). A vdd bola. O creme é de frutos silvestres e só custou 1€. Mas de vez em quando há promoções de 2 pelo preço de 1.

E já agora aproveito para mostrar um "dispensa" à homem. É o meu "cupboard" privado. Devo dizer que neste momento sofreu um upgrade e dispõe de mais uns poucos artefactos. Não mostro o frigorífico porque n dava para perceber nada.

Ála que estou a ficar com fome.


Bem vindos à era da informação. Numa altura em que sites temáticos oferecem serviços e interactividades como flickr's, facebook's, last.fm's e muitos mais, eis que surge FloorPlanner - "a maneira mais fácil de criar e partilhar plantas interactivas".


"A comprar nova casa, a re-organizar o seu quarto, ou a mudar-se para um novo escritório? Pode poupar tempo e divertir-se se dispuser as suas ideias com antecipadamente.
O Floorplanner e a maneira mais fácil, mais rápida e com mais bom aspecto para criar e partilhar plantas interactivas. Usando ferramentas point-and-click, drag-and-drop poderá fazer a sua planta em minutos e reorganiza-la quantas vezes quiser. Então poderá gravar, enviar ou imprimir o seu projecto para o partilhar ou para o colocar no seu website.
É fácil de usar e funciona em quase qualquer browser moderno, sem quanlquer download extra necessário."

O que poderia ser melhor? O seu software cad à distancia de um link... Bom... para além de que o "bom aspecto" me faz lembrar as muitas páginas da Casa Claudia que tantas vezes vi a minha mãe desfolhar deixo-vos o prazer de julgarem por vocês próprios o que acham.
Seria, no entanto interessante fazer um estudo arquitectónico dos muito exemplos presentes no site submetidos pelos seus imensos utilizadores. Talvez esta seja a chave para descobrir finalmente o que o "cliente", "utilizador" (chamem-lhes o que quiserem) quer, talvez não...


P.S. FloorPlanner é um producto criado pela empresa Suite75, sediada em Roterdão - Países Baixos.

Emily Haines é a vocalista dos Metric.


Pang Workshop

Basicamente recebo um mail na minha conta da faculdade a dizer que na quarta feira 29 de agosto (sim, já foi há algum tempo, mas só agora me apeteceu publicar) iría haver um workshop durante todo o dia com festa no fim. Sem inscrições, todos os alunos se encontravam convocados, assim como funcionários e professores. Em anexo ao email, um pdf com a lista das equipas, completamente ao acaso - funcionários, alunos de arquitectura, de design e paisagismo, tudo à mistura - de 9 elementos. Vamos lá, disse eu, já que há festa no fim. E lá fui.

Chego à faculdade e a parede poente do pátio principal estava coberta com listas das equipas - vêem-se lá ao fundo junto ao man de camisola verde - e lá fui procurar a L7. Povo simpático, norueguesese uma norueguesa que falava um quito de brasileiro e um jamaicana transformado em novaiorquino em oslo.

O tema - Melhorar o Espaço Publico. Os materiais disponíveis - cordel, papel craft e cartão. O que decidimos fazer? Um limbo esquizofrénico em jeito de jogo, claro!

Para dificultar ainda mais, adicionamos um chapéu que o povo não se importou de usar depois de uns copos.

Tínhamos que baptizar a obra, por isso escolhemos obviamente Limbo Lazer 3000. Bom.. pareceu óbvio na altura...

Este foi o projecto vencedor - o Zoo.

Um Zoo com girafa e tudo.

E macacos.

Em todos os recantos da escola se viam instalações. Este é o José, um dos tugas em Design.

Eu andei para lá a testar as cenas, já num momento de relax, pois o horário havia sido cumprido e pelas 16h já estava tudo arrumado e limpo no nosso local.

Depois houve churrasco com um chef português, anunciaram-se os vencedores e depois foi pela noite fora no pub da faculdade.


Para mais fotos e mais bonita vejam o set no meu Flikr.
Dêem uma espreitadela na galeria de fotos do workshop do site da AHO.


 

© 2006 Charneira | Blogger Templates por GeckoandFly modified and converted to Blogger Beta by Blogcrowds.
Nenhuma parte do conteúdo deste blog deve ser reproduzida sem que a proveniência seja referida.